Motivação

O mundo que eu quero para minhas filhas

Com a chegada do dia Internacional da mulher, não pude deixar de pensar no mundo que quero para minhas filhas. Nesse dia, celebramos a luta e nos lembramos das mulheres que vieram antes de nós e ajudaram a conquistar tudo o que temos hoje.

Mas qual é o nosso papel como pais de meninas e meninos nessa luta?

Criar meninas empoderadas, que se respeitam e sabem que são especiais. Meninas com oportunidades que farão a diferença no futuro, não só pela causa das mulheres mas pela humanidade. Meninas que cresçam num ambiente seguro, livres dos diversos tipos de abuso que existem. Meninas com informação e acesso à saúde. Meninas que frequentem a escola. Meninas com direitos respeitados.

Criar uma nova geração de meninos, que respeitam e admiram as mulheres. Que não acham que trabalho de casa e que cuidar dos filhos seja responsabilidade única da mulher. Que não pensem que a mulher seja sua propriedade e que ela deva ser submissa obedecendo sem questionar, eles devem ser pares, parceiros em tudo. Criar meninos que não sejam violentos e que saibam que a violência não resolve. Que o diálogo seja a sua única arma e que o respeito ao próximo seja a sua bandeira.

 

mãe e filha crianças de maos dadas

Perguntei para alguns leitores do blog, que mundo eles querem para suas suas filhas e como eles ensinam seus filhos sobre igualdade e respeito.

O que quero para minhas filhas

“Eu quero um mundo melhor , onde os valores estejam no caráter e não no bolso. Um mundo onde um ser humano seja tratado com o respeito que merece. Mais amor, mais harmonia, mais confiança no próximo, são tantas coisas que eu não consigo nem priorizar. Um mundo melhor para as crianças e idosos. São dois extremos que precisam de cuidados e infelizmente existe muito descaso e maldade”. Márcia, mãe de 4 meninas

“Espero que minhas netas façam diferença no mundo.  Que tudo na vida delas as ensine a se respeitar e se valorizar, seja na vida social, amorosa, profissional e em família. Que tenham as bênçãos e proteção dos Anjos do Senhor”. Meire, avó de 4 meninas

“Eu quero um mundo onde a infância de minha filha não seja roubada pelos costumes modernos e a sensualização das crianças e um lugar aonde ela se sinta segura tanto física quanto moralmente, porque, infelizmente, nos dias de hoje viver princípios tradicionais é visto com maus olhos”. Marília, mãe de um casal

“É difícil responder a essa pergunta. O mundo está muito extremista hoje, onde o sensacionalismo e o falso moralismo parecem soar mais alto do que a responsabilidade e o senso do dever. Tentando responder de maneira simples, eu espero que minhas filhas cresçam em um mundo de respeito, de tolerância, de amor ao próximo e onde ela consiga viver os seus princípios sem serem julgadas por isso. Hoje, expressar a sua opinião se tornou perigoso, principalmente se for contra o que o “politicamente correto” prega, ou o que o mundo acha que agora é o correto”. Augusto, pai de 2 meninas

mãe e filha menino

Criando bons meninos

“O mundo que eu quero para os meus filhos é um mundo de igualdade, que não haja sofrimento nem guerras, que essas crianças nas zonas de conflito tenham as mesmas oportunidades que os meus meninos, de crescer com saúde, sendo respeitados, terem a chance de ter uma vida normal, livres da violência. Eu ensino também que eles devem respeitar as mulheres, que todos somos iguais e nenhum é superior ao outro. Que se deve cuidar e ajudar as mulheres”.  Carine, mãe de 2 meninos

“Ensino que todas as pessoas merecem respeito independente de ser mulher. Mas já que estamos falando de mulher sempre ensino a dar apoio para o seu crescimento, a respeitar e dialogar, ajudar com tudo que for necessário para que a harmonia esteja sempre presente”. Meire, mãe de 2 meninos

“Essa pergunta é mais fácil porque aí vai de “homem para homem”. Como ele é novo, o meu exemplo deve falar mais do que minhas palavras. Ele deve ver o modo como trato a mãe e as irmãs dele como um bom exemplo de como ele deve tratá-las e isso se estende ainda às coleguinhas de escola, professoras, avós, etc. Quando ele ficar mais velho, e começar a compreender um pouco mais o que significa se relacionar com pessoas, eu poderei falar mais claramente sobre limites, o respeito mútuo, o valor das mulheres e a conduta de um homem digno”. Augusto, pai de 1 menino

Eu procuro dar o exemplo, ensino sobre respeito, pois as crianças têm a mãe e o pai como espelho. E os ensino desde pequenos bons princípios, a fazer carinho, ajudar em casa, sempre fazemos tudo juntos”. Marcela, mãe de 2 meninos

Meu filho ainda é muito novo, mas vou ensiná-lo a respeitar as mulheres, sempre pensando que elas são filha ou irmã de alguém que as criou e cuidou com carinho, como eu criei a ele e a irmã, assim, mesmo quando uma mulher não se valorizar, ele deve lembrar que ela é de infinito valor para alguém, e ele não tem direito de diminuí-la”. Marília, mãe de um casal

Agradeço muito pela participação dos leitores!! Todos foram muito legais me mandando os comentários!! Aproveito para desejar um feliz dia Internacional da Mulher para todas vocês!!

Juntos, podemos criar um mundo seguro para nossas meninas. Só assim iremos zerar o Cronômetro da violência contra as mulheres. Garantir que TODOS tenham as mesmas responsabilidades, direitos, liberdade, oportunidades e reconhecimento, independente do sexo, classe social ou raça.

Leave a Reply

Instagram